DEPRESSÃO PÓS-PARTO: CONHECIMENTO SOBRE OS SINAIS E SINTOMAS EM PUÉRPERAS

  • Eraldo da Costa Tolentino
  • Danielle Aurília Ferreira Macêdo Maximin
  • Cláudia Germana Virgínio de Souto
Palavras-chave: Depressão., Enfermagem., Obstetrícia., Parto., Gestação.

Resumo

O estudo trata-se de uma revisão bibliográfica sobre o conhecimento dos sinais e sintomas da doença depressão pós-parto. O objetivo é discutir sobre os sinais e sintomas da depressão pós-parto em puérperas e permitir a visibilidade deste assunto para as mães puérperas, profissionais da área, bem como para a sociedade em geral. A coleta dos dados se baseou em análise de 19 artigos científicos na área da psicologia, enfermagem e medicina. Para a aquisição dos artigos foram utilizadas plataformas de pesquisas como a Scielo e Capes, as quais são referências para a realização de pesquisas. Os artigos foram agrupados conforme o foco central do presente estudo, dessa forma, foram divididos em Definição da depressão, Depressão pós-parto, sinais e sintomas da Depressão pós-parto, diagnóstico e tratamento da Depressão pós-parto. Os resultados obtidos a partir da revisão bibliográfica sobre os sinais e sintomas da depressão pós-parto, mostrou que a mesma é uma doença atual que acomete boa parte das puérperas, e que os sinais e sintomas nem sempre é percebida. As manifestações iniciais da depressão pós-parto ocorrem nas primeiras quatro semanas após a realização do parto, tendo uma alta intensidade dos sintomas nos seis primeiros meses, e os fatores sociais e mentais contribuem para esta ocorrência. Dessa forma, os profissionais da área de saúde, no geral, possuem um papel importante na detecção dos sinais e sintomas da depressão pós-parto precocemente, com o intuito de impedir o sofrimento das mães e maiores consequências para o bebê.

Publicado
2016-12-15
Como Citar
Tolentino, E., Maximin, D. A. F., & Souto, C. G. (2016). DEPRESSÃO PÓS-PARTO: CONHECIMENTO SOBRE OS SINAIS E SINTOMAS EM PUÉRPERAS. Revista De Ciências Da Saúde Nova Esperança, 14(1), 59-66. https://doi.org/10.17695/revcsnevol14n1p59-66
Seção
Ciências da Saúde/Artigo Original

##plugins.generic.recommendByAuthor.heading##